finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Desemprego de 8,7% é o menor para o mês em 5 anos

Para IBGE, taxa de 2007 deverá ser a mais baixa da série histórica

Jacqueline Farid, RIO, O Estadao de S.Paulo

23 de novembro de 2007 | 00h00

A taxa de desemprego caiu para 8,7% em outubro, o nível mais baixo para meses de outubro em cinco anos, segundo divulgou ontem o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em setembro, a taxa havia sido de 9% e em outubro do ano passado, 9,8%. O levantamento constatou ainda aumento da formalidade e do rendimento médio real dos trabalhadores. Em 2007, a taxa de desemprego deverá atingir o menor nível anual da série histórica, estima o gerente da pesquisa, Cimar Azeredo.Segundo ele, a queda já era esperada por causa da sazonalidade. Nessa época do ano, tradicionalmente há recuo do desemprego por causa do aumento de oferta de trabalho temporário. Azeredo avalia que os dados do mercado de trabalho em outubro e as perspectivas para os dados fechados deste ano "mostram que, em 2007, a evolução da economia foi tão boa que refletiu de forma visível no mercado de trabalho".A taxa média de desemprego apurada de janeiro a outubro de 2007 foi de 9,6%, a menor desde o início da nova série histórica do IBGE, em 2002. No ano passado, a taxa média nesse período havia sido de 10,2%. Para Azeredo, "o mercado de trabalho está evoluindo de forma bastante favorável", como efeito da "maior disposição dos investidores em contratar", em cenário de taxas de juros menores e estabilidade econômica. Em outubro, a taxa de desemprego caiu porque houve aumento significativo do número de ocupados: 6,8% em relação a outubro de 2006, e 0,2% ante setembro. A população ocupada nas seis regiões metropolitanas pesquisadas somou 21,3 milhões. Também contribuiu para o recuo da taxa a queda do total de desocupados (sem trabalho ou procurando emprego), de 9,8% ante igual mês de 2006 e de 3,4% na comparação com o mês anterior.Dos 639 mil postos de trabalho criados em outubro nas seis regiões, em comparação com outubro do ano passado, 584 mil foram com carteira assinada. O aumento do emprego formal prosseguiu forte no mês, com expansão de 6,8% ante outubro de 2006 e de 0,7% na comparação com setembro.RENDAO rendimento médio real apurado pelo IBGE em outubro (R$ 1.123,60) deste ano cresceu 0,5%, na comparação com setembro, e 1,2% ante outubro do ano passado, mas ainda não chegou ao nível de outubro de 2002 (R$ 1.182,51). "O cenário atual é favorável para o rendimento, mas a renda de outubro ainda é 5% menor do que igual mês de 2002", disse Azeredo. COLABOROU FRANCISCO CARLOS DE ASSIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.