Desemprego deve cair nos próximos meses

O desemprego da região metropolitana de São Paulo tende a cair nos próximos meses, dando continuação ao movimento iniciado em maio e confirmado em junho, afirmaram hoje os técnicos da Fundação Seade e do Dieese. "Costuma haver uma redução da taxa de desemprego no segundo semestre. Se for confirmado o vigor da retomada do crescimento, com maior consumo no mercado interno, essa queda do desemprego pode ser mais acentuada", afirmou o diretor-técnico do Dieese, Clemente Ganz Lúcio, sem estimar um índice.As perspectivas dos técnicos são favoráveis também porque a População Economicamente Ativa (PEA) tende a se manter estável nos próximos meses. Em junho, a PEA da região metropolitana de São Paulo atingiu 10 milhões de pessoas, a maior da história da pesquisa, iniciada em 1985. A relação entre a PEA e a População em Idade Ativa (PIA), ou seja, em condições de trabalhar, era de 64,3 - também a maior da série histórica. Em tese, quando há melhora do ambiente econômico e de oferta de emprego, mais pessoas se motivam a procurar trabalho e o número absoluto de desemprego pode aumentar, mesmo que mais postos sejam criados. "Como a relação entre PEA e PIA está muito alta, dificilmente esse índice crescerá e a hipótese mais correta é de crescimento de vagas acima do crescimento da PEA, o que resultará em queda do desemprego absoluto", disse o diretor da Fundação Seade, Sinésio Pires Ferreira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.