Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

''Desemprego é preocupante''

Meirelles projeta níveis comparáveis aos de 2007

Adriana Chiarini, RIO, O Estadao de S.Paulo

20 de maio de 2009 | 00h00

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, projeta que, no segundo semestre, os índices de desemprego vão se manter em níveis comparáveis aos de 2007, o que representaria uma inquietação a mais para o governo. "É preocupante, porque estamos retrocedendo dois anos", afirmou. No entanto, observou que há países em situação muito pior, com retrocessos de décadas. A consideração foi feita durante apresentação no 21º Fórum Nacional, promovido pelo ex-ministro João Paulo dos Reis Velloso, na sede do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Mas ponderou que os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que revelou esta semana um saldo positivo na criação de empregos em abril, "já são encorajadores no sentido de que há criação líquida de emprego". Durante a apresentação, no painel que tinha como tema "A crise global e a reação do Brasil", Meirelles buscou não abandonar o tom otimista e enfatizou que o País tem condições de sair "mais forte da crise". Um dos discursos padronizados no governo é o de que a economia brasileira tende a se recuperar mais rápido que a de seus pares emergentes e até mesmo antes de alguns países desenvolvidos.Reforça a tese, segundo Meirelles, o fato de o Brasil já ter voltado a comprar reservas em dólar e ter tido uma redução muito pequena, de cerca de US$ 2 bilhões, no total de reservas desde o início da crise financeira mundial. O presidente do BC também fez referência à dívida líquida do setor público em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), que diminuiu pelo fato de o Brasil ser credor líquido em dólar. A previsão do BC é que a dívida líquida fique em cerca de 38% do PIB no fim do ano, ante pouco mais de 40% no terceiro trimestre do ano passado. Meirelles citou, ainda, que o Brasil tem demanda doméstica comprovada pelo recente desempenho do comércio e boas condições na margem para crescer, inclusive por parte do investimento. Entre os dados conjunturais positivos para o País, Meirelles destacou ainda a inflação sob controle.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.