Desemprego em 6 regiões fica em 13,2% em novembro

Total de desempregados foi estimado em 2,677 milhões de pessoas, 89 mil menos que em outubro

Ana Conceição, da Agência Estado,

22 de dezembro de 2009 | 10h27

A taxa de desemprego em seis das principais regiões metropolitanas do País ficou em 13,2% em novembro, de acordo com dados divulgados pela Fundação Seade/Dieese. O desemprego caiu em relação aos 13,7% registrados em outubro. Em novembro do ano passado, a taxa estava em 13,0% nas regiões metropolitanas de São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Salvador e Distrito Federal.

 

O contingente de desempregados nas seis regiões foi estimado em 2,677 milhões de pessoas, 89 mil menos que em outubro. Em novembro de 2008, o número de desempregados era de 2,611 milhões.

 

O nível de ocupação das seis regiões metropolitanas cresceu 0,7% em novembro, na comparação com outubro porque no mês passado, foram criadas 129 mil vagas de emprego.

 

No conjunto das regiões, o nível ocupacional cresceu em quase todos os setores analisados. Na Construção Civil, houve aumento de 0,3% com a criação de 3 mil vagas. No setor de Serviços, o nível ocupacional cresceu 0,5%, com a abertura de 44 mil postos de trabalho. No Comércio, houve alta de 1,2% na ocupação, após a criação de 34 mil vagas. Na indústria, o nível ocupacional aumentou 2,0%, com a geração de mais 50 mil vagas. No agregado Outros Setores, houve queda ligeira, de 0,1%, após a extinção de 2 mil vagas de trabalho.

 

O rendimento médio real (descontada a inflação) dos trabalhadores ocupados caiu 0,8% nas seis regiões metropolitanas outubro, ante setembro, passando para R$ 1.238,00. Na comparação com outubro de 2008, contudo, houve aumento de 1,0%. Já o rendimento médio real dos assalariados caiu 1,1% para R$ 1.303,00 nas seis regiões, ante setembro, mas subiu 1,8% ante outubro de 2008.

 

Rendimento

 

O rendimento médio real (descontada a inflação) dos trabalhadores ocupados na Região Metropolitana de São Paulo caiu 1,7% em outubro, ante setembro, para R$ 1.274,00. Os trabalhadores ocupados referem-se a todos aqueles que tiveram rendimento no período, assalariados ou não.

 

Já o rendimento real dos assalariados caiu 2,1% no período, para R$ 1.319,00. A massa dos rendimentos dos ocupados manteve-se relativamente estável, com crescimento de 0,1% ante setembro. A dos assalariados subiu ligeiramente, 0,6%.

 

O contingente de desempregados na região metropolitana de São Paulo ficou em 1,357 milhão de pessoas em novembro, 41 mil a menos que em outubro. O nível de ocupação cresceu 0,6% em novembro e o número de pessoas ocupadas foi estimado em 9,248 milhões de pessoas, sendo 54 mil a mais que o estimado em outubro.

 

Dos setores analisados, apenas o de Serviços teve resultado negativo, com queda de 0,7% no nível de ocupação, ou seja, a extinção de 35 mil postos de trabalho. Na Indústria, foram criados 46 mil postos de trabalho no mês passado, elevando o nível de ocupação desse segmento em 2,9%. No Comércio, houve elevação de 2,5%, com a criação de 36 mil novas vagas. No agregado Outros Setores, que inclui construção civil e serviços domésticos, o aumento foi de 0,6% no nível ocupacional, com a criação de 7 mil vagas de trabalho.

Tudo o que sabemos sobre:
rendimentoempregoocupaçãoDieese

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.