Desemprego em SP cai de 20,3% para 19,7%

A nova rodada da pesquisa Fundação Seade-Dieese mostra queda na taxa de desemprego, que passou de 20,3% em junho para 19,7% da População Economicamente Ativa (PEA) na Região Metropolitana de São Paulo em julho. Segundo a pesquisa, 1,934 milhão de pessoas estão desempregadas. O emprego cresceu 0,7%, mantendo o movimento favorável dos dois últimos meses. Com a criação de 55 mil ocupações em julho, o número de trabalhadores chega a 7,882 milhões. Na indústria, foram demitidas 29 mil pessoas, maioria de assalariados sem carteira de trabalho assinada. No comércio, foi registrado a criação de 33 mil empregos, o que, segundo a pesquisa, ocorreu devido ao crescimento do trabalho assalariado com e sem carteira assinada. Já no setor de serviços observou-se o aumento de 45 mil postos de trabalho, resultado da ampliação entre os assalariados com carteira assinada e os empregados do setor público, compensando-se a diminuição do número de assalariados sem carteira e de trabalhadores autônomos. Nos demais setores, segundo a pequisa, houve uma relativa estabilidade, equivalente a mais 6 mil empregos. Rendimento e procuraO rendimento médio dos ocupados e dos assalariados na região metropolitana de São Paulo aumentou 1,8% em junho. É o terceiro resultado positivo consecutivo. Comparado a junho de 2002, o rendimento médio dos ocupados diminuiu 8,1%, e o dos assalariados caiu 5,6%.De acordo com o estudo, no setor privado o salário médio cresceu 2,2% entre maio e junho, em razão da alta de 2,2% na indústria, e 2,8% nos serviços. Já no comércio, o salário médio voltou a diminuir, registrando uma queda de 2%. Em relação a junho do ano passado, o salário médio pago no setor privado caiu 5,1%, por causa do desempenho negativo na indústria (7,4%), no comércio, (7,3%) e nos serviços (2,6%).O levantamento da Fundação Seade e do Dieese também mostrou que o tempo médio de procura por um trabalho aumentou de 50 para 52 semanas, entre junho e julho. Comparado à média registrada há 12 meses, o período de procura aumentou em uma semana.Leia também: Vendas da indústria paulista têm melhor desempenho do ano

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.