Desemprego em SP fica estável em fevereiro e surpreende

Taxa fica em 13,6%, menor nível para o mês desde 1996, segundo pesquisa do Seade e Dieese

Anne Warth, da Agência Estado,

26 de março de 2008 | 10h28

Em comportamento atípico para o período, a taxa de desemprego na região metropolitana de São Paulo ficou estável em 13,6% em fevereiro, mesmo índice registrado em janeiro, segundo a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), feita pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) em parceria com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). De acordo com as entidades, o resultado surpreendeu, pois a taxa de desemprego costuma ter alta no início do ano. Apesar da estabilidade, esta é a menor taxa de desemprego registrada em meses de fevereiro desde 1996. O contingente de desempregados foi estimado em 1,4 milhão de pessoas. Na comparação com fevereiro de 2007, o desemprego também teve queda. Há um ano estava em 15,3%. Já o rendimento médio real dos ocupados apresentou relativa estabilidade em janeiro ante dezembro (-0,3%) e passou a R$ 1.143. Na comparação com janeiro de 2007, o rendimento caiu 2%.  Índice geral Já a taxa calculada em seis regiões metropolitanas do País ficou em 14,5% em fevereiro, leve alta ante janeiro, quando estava em 14,2%. O contingente de desempregados foi estimado em 2,8 milhões de pessoas nas regiões metropolitanas de Belo Horizonte (MG), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Salvador (BA), São Paulo (SP) e o Distrito Federal. Em fevereiro de 2008 o desemprego caiu em relação a fevereiro de 2007, quando estava em 15,9%. O rendimento médio real dos ocupados nas seis regiões caiu 0,4% entre janeiro e dezembro, e passou a R$ 1.088. Na comparação com janeiro de 2007, o rendimento variou 0,5%.

Tudo o que sabemos sobre:
Emprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.