Desemprego fica estável em junho na zona do euro

A taxa de desemprego da zona do euro (que reúne os 16 países que adotam o euro como moeda) ficou estável em 10,0% pelo quarto mês seguido em junho, segundo informou hoje a Eurostat, em um sinal de que o desemprego na região pode já ter deixado o pico para trás. O dado ficou em linha com as estimativas dos economistas.

DANIELLE CHAVES, Agencia Estado

30 de julho de 2010 | 07h37

A Eurostat informou ainda que mais 6 mil pessoas se juntaram às filas de desempregados em junho, bem menos que as 41 mil vistas em maio, em dado revisado. A estimativa da Eurostat é de que havia 15,8 milhões de pessoas sem trabalho na zona do euro em junho, mais que as populações combinadas da Áustria e da Irlanda.

A ainda alta taxa de desemprego na zona do euro - que era de 7,2% no começo de 2008 - sugere que é improvável uma recuperação rápida na demanda do consumidor da região. A taxa se compara a 9,5% nos EUA em junho e a 5,2% no Japão em maio. Na Europa, a Espanha foi destaque, com aumento da taxa de desemprego de 19,8% em maio para 20,0% em junho. Na Irlanda, o desemprego subiu de 13,2% para 13,3%. Já na maior economia da zona do euro, a Alemanha, a taxa ficou estável em 7,0%, enquanto na França houve alta de 9,9% para 10,0%. Na Itália, foi registrada queda de 8,6% para 8,5%. A Eurostat também informou que a taxa de desemprego em toda a União Europeia ficou estável em 9,6% pelo quinto mês seguido em junho. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.