carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Desemprego global bate recorde e supera 191 milhões

O número de desempregados no mundo cresceu para um patamar recorde de 191,8 milhões, no final de 2005. Os dados do relatório anual da Organização Mundial do Trabalho (OMT), divulgados nesta terça-feira, mostram que o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) mundial de 4,5% não foi capaz de impedir o aumento do desemprego globalmente.O número apresentado pela OMT no trabalho Tendências Globais do Emprego representa um desemprego de 6,3%, para uma força de trabalho calculada em 2,8 bilhões de pessoas. Representa também um aumento de 2,2 milhões de desempregados no mundo. O aumento do desemprego em 2005 interrompe uma tendência de queda que havia sido observada em 2004. Renda O relatório mostra ainda que o crescimento da economia mundial melhorou muito pouco a renda da maior parte da população. Dos mais de 500 milhões de trabalhadores extremamente pobres que havia no mundo no início de 2005, apenas 14,5 milhões tinham conseguido superar a condição no final do ano.A OMT considera trabalhadores extremamente pobres aqueles que ganham o equivalente a US$ 1 por dia, ou seja, um salário equivalente a US$ 30 por mês (em torno de R$ 70).Do total de 2,8 bilhões de trabalhadores no mundo, metade ainda ganha menos do que US$ 2 por dia - o número permanece inalterado por dez anos. PerfilA maioria dos desempregados no mundo tem entre 15 e 24 anos de idade. O relatório mostra que essa população tem até três vezes mais risco de enfrentar o desemprego do que a população acima dessa idade. Embora representem metade dos desempregados, eles compõe apenas 25% da força de trabalho. ?Dadas as tendências (atuais), há uma necessidade de reformular as estratégias de crescimento e desenvolvimento (mundiais)?, afirma o relatório.

Agencia Estado,

24 de janeiro de 2006 | 11h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.