Desemprego inalterado na zona do euro; preços ao produtor caem

A taxa de desemprego manteve-se praticamente inalterada em abril na zona do euro, em 8,8%, maior nível em três anos, informou a agência de estatísticas da União Européia, a Eurostat. A taxa ficou dentro do previsto pelos analistas. A taxa de março foi revisada em alta, para 8,7%. O desemprego atinge particularmente a Alemanha, onde estima-se que a taxa de desemprego ajustada suba a 10,8% em abril, de 10,7% em março. O dado deve ser divulgado na quinta-feira. Economistas dizem que a manutenção do desemprego em patamar elevado durante abril deve aumentar a pressão sobre as autoridades monetárias européias, para que cortem as taxas de juro na zona do euro. A reunião do Banco Central Europeu ocorre na quinta-feira.Preços caem mais que o previstoO índice de preços aos produtores teve um declínio mais acentuado do que o previsto em abril, refletindo a diminuição dos custos de itens relacionados a energia. O Escritório de Estatísticas da União Européia (Eurostat) informou que os PPI subiu 1,7% em abril, ante igual mês de 2002, desacelerando-se em relação à alta de 2,4% registrada em março. Na comparação com março, os preços retroederam 0,4% em abril. Os declínios foram mais fortes do que as quedas de 1,9% e 0,3% estimadas por analistas. Os dados do PPI são mais voláteis, em conseqüência do comportamento dos preços do petróleo. Os preços de energia caíram 2,9% em abril, após terem subido 0,4% em março. A expectativa para o ano é que a economia mais fraca da região e o fortalecimento do euro sigam pressionando negativamente os preços. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.