Desemprego já é a 1ª preocupação para os jovens na Noruega

Dependente do petróleo, país europeu reinveste lucro do setor de energias em universidades

JAMIL CHADE/ ENVIADO ESPECIAL A STAVANGER, NORUEGA, O Estado de S.Paulo

07 Fevereiro 2016 | 03h00

As mudanças provocadas pelo novo cenário para o petróleo preocupam o presidente do Banco Central da Noruega, Oeystein Olsen. “Estamos entrando em uma nova era”, disse. Um sinal dos novos tempos foi demonstrado por uma pesquisa oficial em Oslo que apontou que, pela primeira vez, o desemprego foi a principal preocupação dos jovens do país.

No projeto desenhado para a economia norueguesa em 2050, o objetivo é reduzir ao mínimo a dependência do país da renda do petróleo. Para isso, a gestão do governo de Erna Solberg quer reduzir impostos para atrair empresas de tecnologia e aumentar a competitividade do setor privado. Para financiar essa transformação, a renda do petróleo será usada e haverá um limite para a quantidade de recursos do setor de energia reinvestido de volta no segmento do petróleo. Por anos, o setor de energia absorveu as melhores mentes do país, assim como seus engenheiros. Agora, o plano é incentivar os jovens a buscar novas carreiras ainda nas universidades.

Para o Nordea Bank, o país está em uma posição “confortável” para redirecionar sua economia, diante das volumosas reservas, e as apostas estão na tecnologia de ponta.

Hoje, os economistas argumentam que, se a Noruega interrompesse toda sua atividade econômica e fechasse todas suas indústrias, o país conseguiria se financiar por pelo menos seis anos apenas com as reservas do petróleo. Cada um dos 5 milhões de habitantes ainda ganharia US$ 130 mil se o fundo soberano fosse distribuído. 

Mais conteúdo sobre:
Noruega Oslo Erna Solberg

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.