Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Desemprego na América Latina diminuiu, aponta OIT

Aumentou o nível de emprego na América Latina. Esta é a principal conclusão do Panorama Laboral de 2004, divulgado nesta sexta-feira em Lima, no Peru, pelo diretor regional da Organização Internacional do Trabalho (OIT) para América Latina e Caribe, Daniel Martínez. A divulgação teve transmissão simultânea para o auditório da Confederação Nacional da Indústria (CNI), em Brasília, onde a OIT realiza um seminário sobre a situação do mercado de trabalho.Pelos dados coletados pela OIT, correspondentes aos três primeiros trimestres de 2004, a taxa de desemprego da América Latina alcança 10,5%, o que significa que 19,5 milhões de trabalhadores urbanos estão sem emprego.Dado ao crescimento econômico da região, a OIT estima que o ano fechará com um taxa de desemprego regional de 10,4%, menor do que a taxa verificada em 2003, que foi de 11,1%. Os países onde o desemprego diminuiu foram a Argentina, o Brasil, a Colômbia, El salvador, Uruguai e Venezuela. A taxa de desemprego se manteve estável na Costa Rica e subiu no Chile, Equador, México e Peru.O diretor regional da OIT, Daniel Matínez, foi cauteloso ao divulgar os dados positivos, demonstrando preocupação com o aumento do trabalho informal, a estagnação da cobertura da previdência social e o fato do desemprego atingir com maior intensidade as mulheres e os jovens. "Estamos preocupados porque a recuperação econômica não se traduziu em uma melhora substantiva da situação laboral em muitos países da região", disse.

Agencia Estado,

10 de dezembro de 2004 | 15h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.