Desemprego na Espanha chega a 14%, maior patamar em 9 anos

No quarto trimestre, número de desempregados no país subiu para 13,9%, ou 3,2 milhões de pessoas no total

Reuters,

23 de janeiro de 2009 | 09h04

A taxa de desemprego na Espanha, que já é a mais alta da União Europeia, saltou para aproximadamente 14%, de acordo com dados divulgados nesta sexta-feira, 23, que salientam a velocidade com que a economia do país ruma para a recessão.  Veja tambémDesemprego, a terceira fase da crise financeira global De olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise  O boom econômico espanhol, que durou uma década, precisou de apenas um ano para entrar em colapso, começando pelo setor de moradias e depois se espalhando com rapidez para outros setores importantes da economia do país, como serviços e de turismo.  No quarto trimestre, o desemprego na Espanha subiu para 13,9%, ou 3,2 milhões de pessoas, maior nível em 9 anos e acima da estimativa de 13% apurada em pesquisa da Reuters.  O contingente de pessoas desempregadas aumentou em aproximadamente 1,3 milhão no final de 2008 em comparação com um ano antes.  "Não é uma surpresa muito grande após a bolha da construção ter estourado. Nós estamos extremamente preocupados quanto à Espanha, nós somos provavelmente os mais pessimistas, no contexto europeu, quanto a essa economia", disse Sunil Kapadia, economista do UBS.  O número de famílias sem nenhuma pessoa empregada aumentou para 827.200 no quarto trimestre, ante 638.100 no terceiro trimestre.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.