Desemprego na Grande SP fica estável em 17,5% em maio

O índice de desemprego na Grande São Paulo rompeu o movimento de três altas consecutivas, iniciado em fevereiro, e permaneceu estável em maio, ao atingir 17,5% da População Economicamente Ativa (PEA) dos 39 municípios que compõem a Região Metropolitana de São Paulo. O indicador é exatamente igual ao verificado em abril, segundo a Fundação Seade e o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), responsáveis pela elaboração da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), e abaixo aos 19,7% indicados em maio do ano passado.Assim, as instituições estimaram em 1,76 milhão o contingente de desempregados da Grande São Paulo em maio de 2005. A pesquisa identificou que o número de desempregados teve, no mês passado, ligeira alta de 8 mil pessoas, provocada pelo ingresso de 43 mil pessoas no mercado de trabalho e um saldo gerado de 35 mil postos.Esse volume de empregos criados resultou em leve alta de 0,4% no nível de ocupação na região, resultado de um aumento de 40 mil vagas na Indústria e de outras 19 mil em Serviços, além da eliminação de 11 mil cargos no Comércio e de 13 mil em Outros Setores, segmento que engloba Construção Civil e Serviços Domésticos.Entre março e abril, a PED identificou ainda que os rendimentos médios de ocupados e assalariados mantiveram-se "praticamente estáveis". Entre os ocupados, a variação foi de 0,1%, passando a equivaler a R$ 1.024 e, entre os assalariados, a oscilação foi de 0,2%, respondendo a R$ 1.096.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.