Desemprego na Itália é de 10,7%, o maior desde 2004

A taxa de desemprego da Itália em julho se manteve estável em 10,7%, o nível mais alto desde janeiro de 2004, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatísticas (Istat). Já a taxa de junho foi revisada para baixo, de 10,8% para 10,7%. Os dados consideram fatores sazonais.

AE, Agencia Estado

31 de agosto de 2012 | 08h42

O número de pessoas empregadas na Itália caiu 0,1% em julho ante o mês anterior, para 2,76 milhões, informou o Istat. Entre pessoas com idades entre 15 e 24 anos, a taxa de desemprego avançou para 35,3% em julho, de 33,9% em junho.

No segundo trimestre, a taxa de desemprego subiu para 10,5%, de 7,8% no mesmo período do ano passado, atingindo o maior nível desde o segundo trimestre de 1999, de acordo com o Istat.

O governo italiano recentemente aprovou no Parlamento um proposta de reforma trabalhista que torna mais pessoas aptas a receber seguro-desemprego. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Itáliadesemprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.