Desemprego no Brasil sobe para 8,1% em 2009, aponta IBGE

Dados do instituto mostram que é a 2ª menor média da série; a taxa mais baixa foi de 2008, de 6,8%

Jacqueline Farid, da Agência Estado, e estadao.com.br,

28 de janeiro de 2010 | 09h02

A taxa de desemprego apurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nas seis principais regiões metropolitanas do País fechou 2009 em 8,1%, ante 7,9% em 2008. Trata-se da segunda menor taxa média anual da nova série da pesquisa mensal de emprego, cujos dados anuais começaram a ser apresentados em 2003. A taxa mais baixa foi a de 2008, de 6,8%.

 

Em dezembro, a taxa ficou em 6,8%, ante 7,4% em novembro. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira, 28, pelo instituto. Em dezembro de 2008, a taxa de desemprego havia ficado em 6,8%.

O resultado de dezembro ficou dentro do intervalo das estimativas dos analistas consultados pelo AE Projeções, que projetavam taxa de 6,20% a 6,90%, e acima da mediana prevista, de 6,50%.

 

O rendimento médio real dos trabalhadores registrou variação negativa de 0,9% em dezembro ante novembro, mas subiu 0,7% na comparação com dezembro de 2008. Já a massa de rendimento real habitual dos trabalhadores ficou em R$ 29,6 bilhões em dezembro de 2009, estável em relação a novembro do mesmo ano e com alta de 2,3% ante dezembro de 2008.

 

Segundo o IBGE, o número de trabalhadores ocupados somou 21,8 milhões em dezembro de 2009, o que representa uma alta de 1,0% ante novembro e crescimento de 1,4% na comparação com dezembro de 2008. Já o número de pessoas desocupadas somou 1,59 milhão no mês passado, com queda de 7,1% ante o mês anterior, mas acréscimo de 1,6% em relação a um ano antes.

Tudo o que sabemos sobre:
IGP-Minflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.