Desemprego no Brasil tem menor março desde 2002

O desemprego brasileiro aumentou levemente em março, em ritmo menor que o esperado pelo mercado, a menor taxa para esse mês da série histórica iniciada em 2002, enquanto o desemprego teve recorde de alta para o mês.

REUTERS

20 de abril de 2011 | 15h00

A taxa nas seis principais regiões metropolitanas subiu para 6,5 por cento em março, ante 6,4 por cento em fevereiro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira.

Economistas consultados pela Reuters projetavam uma taxa de 6,7 por cento, segundo a mediana de 12 respostas que variaram de 6,6 a 7,0 por cento.

A população desocupada somou 1,5 milhão de pessoas, estável na comparação mensal e com queda de 14 por cento sobre março de 2010. A população ocupada totalizou 22,3 milhões, também estável sobre fevereiro e com alta anual de 2,4 por cento.

O rendimento médio real do trabalhador foi de 1.557 reais em março, alta de 0,5 por cento na comparação mensal e de 3,8 por cento sobre o ano passado. Foi o maior valor para o mês de março desde 2002.

(Reportagem de Denise Luna)

Tudo o que sabemos sobre:
IBGEDESEMPREGOATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.