Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Desemprego no Japão recua para 5,5% em agosto

A taxa de desemprego do Japão caiu inesperadamente em agosto, ao mesmo tempo em que as famílias gastaram mais, mas a aparente melhora na economia doméstica pode ser efêmera, porque as empresas têm sinalizado que podem precisar reduzir mais o quadro de pessoal. A taxa de desemprego recuou para 5,5% em agosto, de 5,7% em julho, e também ficou bem abaixo dos 5,8% da estimativa de consenso dos economistas consultados pelas agências Dow Jones e Nikkei.

AE-DOW JONES, Agencia Estado

02 de outubro de 2009 | 05h48

O Ministério dos Assuntos Internos e da Comunicação, que divulgou os dados, disse que a melhoria das condições do mercado de trabalho nos setores de saúde e construção ajudou a pressionar a taxa de desemprego para baixo.

Outros dados mostraram que as famílias japonesas gastaram mais do que o previsto em agosto, com seus desembolsos aumentando 2,6% em relação a um ano antes, na primeira alta desde janeiro do ano passado. A previsão de consenso era de uma diminuição de 0,4%. O Ministério atribuiu o crescimento à elevação dos gastos em produtos cujos preços estão caindo, bem como às medidas do governo para estimular o consumo.

Os analistas disseram, contudo, que os números positivos refletem basicamente fatores extraordinários e que outros indicadores sugerem que o mercado doméstico do Japão deve continuar estagnado nos próximos meses. Segundo esses analistas, os dados do desemprego podem mudar de direção e avançar para uma taxa de 6% no fim do ano. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãodesemprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.