Desemprego nos EUA termina o ano a 10%

Taxa não se alterou em dezembro em relação a novembro, apesar de corte de 85 mil lvagas

estadao.com.br,

08 Janeiro 2010 | 11h51

A taxa de desemprego nos Estados Unidos encerrou o ano passado a 10%, sem alterações em relação a novembro. A previsão média de analistas, segundo a Dow Jones, era de leve alta da taxa, para 10,1%.

 

O número de postos de trabalho dminuiu em 85 mil de novembro para dezembro, bem mais do que a perda de 10 mil postos de trabalho esperada por economistas consultados pela Dow Jones. Mas o dado de novembro foi revisado em alta para abertura de 4 mil vagas, na primeira vez que a economia criou empregos desde o início da recessão, em dezembro de 2007. O dado original de novembro mostrava corte de 11 mil postos de trabalho.

 

O emprego caiu em construção, manufaturas e comércio varejista, enquanto serviços temporários e cuidados com saúde continuaram abrindo vagas.

Embora o dado de dezembro tenha sido pior que o esperado, ele reflete uma melhora no mercado de trabalho.

 

As perdas de emprego diminuíram substancialmente em 2009, à medida que a economia se recuperava. No quarto trimestre de 2009, os cortes de postos de trabalho ficaram na média de 69 mil por mês, enquanto que no primeiro trimestre a média era de corte de 691 mil por mês.

 

O emprego em construção diminuiu em 53 mil em dezembro, enquanto em manufatura a queda foi de 27 mil. Serviços temporários criaram 47 mil vagas, enquanto cuidados com saúde abriu 22 mil postos.

O salário médio por hora trabalhada subiu para US$ 18,74, de US$ 18,74.

 

(com Nathália Ferreira e Marcílio Souza, da Agência Estado)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.