Desemprego pode fechar 2008 com queda recorde, diz IBGE

'Juros e inflação podem comprometer um pouco o processo, mas os efeitos não são imediatos', diz pesquisador

JACQUELINE FARID, Agencia Estado

26 de junho de 2008 | 10h13

O gerente da pesquisa mensal de emprego do IBGE, Cimar Azeredo, disse nesta quinta-feira, 26, que a tendência é de novas quedas na taxa de desemprego, até dezembro de 2008, exceto se fatores externos venham a afetar o desempenho do mercado de trabalho. Como exemplo desses fatores, ele citou a inflação, a alta dos juros e as crises externas. "Juros e inflação podem comprometer um pouco esse processo, mas, exceto na renda, os efeitos demoram, não são imediatos", afirmou.     Veja também:    Inflação já provoca queda na renda do trabalhador, aponta IBGE  Desemprego no País em maio cai para a menor taxa da sérieSegundo ele, os resultados do mercado de trabalho em maio, com taxa de desemprego em 7,9% (a menor taxa para maio desde 2002), aumento no número de trabalhadores ocupados e queda no contingente de desocupados, "são extremamente positivos". O gerente da pesquisa afirmou que o desempenho reflete o bom cenário econômico do País. "O ano de 2008 vem registrando indicadores positivos na economia e isso vem se refletindo no mercado de trabalho", disse.Azeredo ressaltou que este ano "uma inflexão significativa" na taxa de desemprego ocorreu "mais cedo e com mais força", já que no ano passado só houve queda na taxa em junho. Historicamente, a taxa de desemprego sobe de janeiro até o final do primeiro semestre, iniciando então um processo de queda até o final do ano. "A situação no mercado de trabalho em 2008 é favorável em relação aos últimos anos", afirmou, acrescentando que "a taxa (de desemprego) tende a fechar o ano com novo recorde (de queda)".O recorde mensal entre as menores taxas de desemprego mensais apuradas pelo IBGE, até o momento, é dezembro de 2007, quando foi de 7,4%, a mais baixa da série iniciada em março de 2002. A taxa no mês de dezembro é sempre a menor apurada mensalmente a cada ano.

Tudo o que sabemos sobre:
desempregoIBGE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.