Desemprego recorde não surpreende a CUT

O presidente da CUT, Luiz Marinho, disse hoje que já esperava o novo recorde de desemprego verificado pelo IBGE. "A minha leitura após a eleição presidencial do ano passado, antes da posse de Lula, em novembro, era de que 2003 seria um ano muito duro, inclusive com o crescimento do desemprego", disse. Segundo ele, a redução do desemprego só acontecerá a partir do segundo semestre desse ano e em 2004, quando o presidente da CUT projeta um crescimento do PIB em 4%. "O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, estimou o crescimento do PIB para esse ano em 1,5%, mas eu não enxergo isso. Só enxergo o crescimento de 4% para 2004", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.