Desemprego recua de 10,9% para 10,5%; renda cai 1,2%

A taxa de desemprego calculada pelo IBGE nas seis principais regiões metropolitanas caiu para 10,5% em outubro contra 10,9% em setembro. A taxa é a menor da nova série da pesquisa, iniciada em outubro de 2001, e só se iguala a registrada em dezembro de 2002 (também 10,5%). Em outubro, o número de pessoas desocupadas (sem emprego e procurando trabalho) era de 2,3 milhões nas seis regiões, com queda de 4,1% na comparação com setembro e redução de 17,9% ante outubro. O IBGE mostrou também aumento do número de trabalhadores com carteira assinada de 1,3% em relação a setembro e de 3,6% na comparação com outubro de 2003. Mas houve também aumento do emprego informal, com crescimento de 7,1% em outubro sobre igual mês do ano passado. Em relação a setembro, houve estabilidade no emprego informal.O rendimento médio real dos trabalhadores nas seis regiões pesquisadas caiu 1,2% em outubro na comparação com setembro e aumentou 2,6% em relação a outubro do ano passado. O rendimento ficou em torno de R$ 900,20 na média e aumentou especialmente para os trabalhadores por conta própria (6,4%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.