Desemprego reflete atual desaquecimento da economia

Ao apresentar estabilidade pelo terceiro mês consecutivo em setembro, em um momento em que tradicionalmente há aumento na geração de postos de trabalho, a taxa de desemprego reflete o atual cenário de desaquecimento da economia. Houve elevação de 0,1% na população ocupada na passagem de agosto para setembro, mas cresceram também as populações desocupada (0,7%) e economicamente ativa (0,2%), segundo a Pesquisa Mensal de Emprego (PME), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), hoje.

DANIELA AMORIM, Agencia Estado

27 de outubro de 2011 | 11h11

"O mercado de trabalho não está mostrando processo de expansão, mas também não se deteriora", ressaltou Cimar Azeredo, gerente da PME no IBGE. "O mercado não está gerando postos de trabalho, você não vê a desocupação cedendo e isso pode estar relacionado ao cenário econômico atual, que não está favorável, não está estimulando os investidores a gerar postos".

Segundo Azeredo, ainda não é possível dizer que a estabilidade no emprego permanecerá até o fim do ano e que o Natal de 2011 gerará menos vagas do que em 2010. "A gente está em um momento de estabilidade agora, em que qualquer opinião sobre o comportamento da taxa de desocupação no fim do ano será conjectura. Podemos até ter um aumento na desocupação em outubro, mas uma redução forte em dezembro", afirmou Azeredo. "O momento no Brasil é de expansão, com queda expressiva na desocupação. Até quando vai cair a gente não tem como saber. Mas nunca vimos taxas nessa metodologia de pesquisa tão baixas quanto agora", acrescentou.

Tudo o que sabemos sobre:
desempregoIBGEsetembro 2010

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.