Desemprego sobe e rendimento cai, mostra IBGE

A taxa de desemprego nas seis regiões metropolitanas pesquisadas pelo IBGE subiu para 12% em fevereiro ante 11,7% registrados em janeiro e também foi maior do que a taxa apurada em fevereiro do ano passado (11,6%). O número de pessoas desocupadas (não trabalhando e buscando trabalho) cresceu 3,3% na comparação com janeiro e 5,7% ante fevereiro do ano passado, totalizando 2,5 milhões de pessoas nas seis regiões. O número de ocupados ficou estável em fevereiro na comparação com janeiro e cresceu 1,5% ante fevereiro do ano passado, totalizando 18,5 milhões de pessoas. O emprego informal continuou crescendo na comparação com o ano passado, com aumento de 4,8% nos empregados sem carteira ante fevereiro de 2003. Houve queda de 1,2% no número de trabalhadores sem carteira ante janeiro deste ano. O número de empregados com carteira assinada teve uma redução de 0,4% em relação ao mês anterior, janeiro, e queda de 1,9% comparada a fevereiro do ano passado. Rendimento médio cai O rendimento médio real das pessoas ocupadas nas seis regiões metropolitanas pesquisadas pelo IBGE cresceu em fevereiro 0,5% ante janeiro deste ano, mas apresentou queda de 5,7% ante fevereiro do ano passado. O rendimento situou-se na média de R$ 857,70 em fevereiro, o equivalente a 3,5 salários mínimos.

Agencia Estado,

25 Março 2004 | 10h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.