Desemprego tem a menor taxa em 10 anos, aponta Dieese

Número de desempregados cai para 13% em novembro e rendimento dos trabalhadores sobe 0,6% em outubro

Carolina Ruhman, da Agência Estado,

22 de dezembro de 2008 | 09h56

O desemprego em seis regiões metropolitanas do País ficou em 13% em novembro, segundo dados divulgados nesta segunda-feira, 22, pela Fundação Seade e Dieese. Esta é a menor taxa desde janeiro de 1998. Em outubro, o desemprego era de 13,4%, e de 14,6% em novembro de 2007. O levantamento foi feito nas regiões metropolitanas de Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Salvador, São Paulo e Distrito Federal. O contingente de desempregados foi estimado em 2,627 milhões de pessoas, 71 mil a menos do que em outubro.  Veja também:Confiança do consumidor sobe em dezembro após duas quedasCrise breca crescimento da classe média no País Desemprego, a terceira fase da crise financeira globalDe olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise   O rendimento médio real dos ocupados subiu 0,6% em outubro ante setembro - último dado disponível para o indicador. Em relação a outubro de 2007, o indicador cresceu 3,1%. Com o resultado, o rendimento passou a equivaler R$ 1.178 em outubro nas seis regiões pesquisadas. A massa de rendimentos dos ocupados - índice que combina a ocupação e o rendimento - teve alta de 1,5%. Em relação a outubro de 2007, o indicador cresceu 8,3%.  São Paulo A taxa de desemprego na região metropolitana de São Paulo ficou em 12,3% em novembro. Esta é a menor taxa registrada para um mês de novembro desde 1992, e é o menor resultado da série desde fevereiro de 1995.  Na comparação com outubro, o desemprego recuou 0,2 ponto porcentual em relação à taxa de 12,5% verificada naquele mês. Em novembro de 2007, a taxa de desemprego na região era de 14,2%. O contingente de desempregados foi estimado em 1,297 milhão de pessoas, 20 mil a menos do que em outubro. O rendimento médio real dos ocupados subiu 0,5% em outubro ante setembro - último dado disponível para o indicador. Entretanto, na comparação com outubro do ano passado, o rendimento médio real dos ocupados diminuiu 0,9%. Com o resultado, o rendimento passou a equivaler R$ 1.216.  A massa de rendimentos dos ocupados - índice que combina a ocupação e o rendimento - apresentou expansão de 1,5%. Em relação a outubro de 2007, o indicador teve alta de 3,6%.

Mais conteúdo sobre:
SeadeDieesedesemprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.