Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Desemprego tem quarta queda seguida e fica em 8% em julho

Renda média real do trabalhador brasileiro teve alta de 3,4% no último mês comparado a julho de 2008

Adriana Chiarini e Clarice Spitz, da Agência Estado,

20 de agosto de 2009 | 09h04

A taxa de desemprego apurada nas seis principais regiões metropolitanas do País ficou em 8,0% da População Economicamente Ativa em julho, ante 8,1% em junho, divulgou nesta quinta-feira, 20, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado veio levemente abaixo das estimativas dos analistas ouvidos pelo AE Projeções, que iam de 8,1% a 9,0%, com mediana de 8,35%.

 

Veja também

Emprego já mostra aquecimento típico do 2º semestre, diz IBGE

especialAs medidas do emprego 

 

A taxa medida é a menor deste ano - em dezembro de 2008 foi registrado 6,8% - e também a mais baixa para meses de julho desde o início da série da pesquisa mensal de emprego do IBGE, que começou em 2002.

 

Em julho de 2008, a taxa havia sido de 8,1%. O rendimento médio real dos trabalhadores registrou alta de 0,5% em julho ante junho e cresceu 3,4% ante julho de 2008. A pesquisa é realizada nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife, Salvador e Porto Alegre.

 

Renda média real sobe 3,4% ante julho de 2008

Segundo dados da pesquisa do IBGE, a renda média real dos trabalhadores brasileiros subiu 0,5% em junho ante o mês anterior, para R$ 1.323,30. Mas na comparação com julho de 2008, a alta foi mais expressiva, de 3,4%.

 

Número de ocupados cresce 0,9%

O número de ocupados nas seis principais regiões do País cresceu 0,9% em julho ante junho, com geração de 185 mil postos de trabalho. Na mesma comparação, o número de desocupados (sem trabalho e procurando emprego) caiu 0,7%, para 1,9 milhão.

Na comparação com julho do ano passado, o número de ocupados subiu 1,1%, com ganho de 222 mil vagas, e o número de desocupados caiu 0,7%, com redução de 13 mil. O número de trabalhadores com carteira assinada em julho foi de 9,6 milhões pessoas, aumento de 1,5% em relação a junho e um acréscimo de 4,2% ante julho do ano passado.

 

Massa de rendimento real efetivo em junho/maio sobe 0,9%

A massa de rendimento real efetivo dos ocupados em junho subiu 0,9% em relação a maio e foi de R$ 28,2 bilhões. Essa massa teve alta de 4,3% em comparação a junho de 2008.

O rendimento domiciliar per capita em julho ficou estável (-0,1%) em relação a junho e teve alta de 2,5% em relação a julho de 2008.

Tudo o que sabemos sobre:
empregoIBGE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

  • O Pix é seguro? Veja dicas de especialistas sobre o sistema de pagamentos
  • 13º salário: quem tem direito, datas e como a pandemia pode afetar o cálculo
  • Renda básica: o que é, quais os objetivos e efeitos e onde é aplicada

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.