Desonerações da política industrial seguem em aberto

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, informou que o governo ainda não fechou o valor das desonerações (redução ou eliminação de impostos) da nova política industrial que será anunciada no próximo dia 12 de maio, no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no Rio de Janeiro.Segundo ele, na reunião que teve nesta manhã, no Palácio do Planalto, com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, os ministros do Planejamento, Paulo Bernardo, e da Fazenda, Guido Mantega, além dos presidentes do BNDES, Luciano Coutinho, e da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Reginaldo Arcuri, foi apresentado um resumo da proposta final.Miguel Jorge explicou que foram traçadas as linhas de desoneração e a regulamentação delas, "mas o valor da desoneração ainda não está calculado". Reafirmou que a nova política beneficiará 24 setores, explicando que o lançamento ocorrerá no Rio porque o BNDES é parte importante do processo. " O BNDES estará muito ligado neste projeto de desenvolvimento produtivo", ressaltou, após participar da solenidade de posse do presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes.O ministro da Fazenda, Guido Mantega, que também participou da solenidade, ressaltou que a nova política industrial será muito importante para dar continuidade ao processo de investimentos no País e sobretudo para impulsionar as exportações. "A política industrial vem se somar ao processo de aumento de investimentos e de crescimento econômico em curso. Vamos continuar na rota do crescimento sustentável que temos trilhado nos últimos anos", destacou.Mantega explicou que a nova política industrial não terá efeito direto na taxa de câmbio, mas reduzirá o custo dos investimentos e o custo das exportações ao simplificar e incentivar os processos de produção na indústria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.