Despesa com juros bate recorde e já supera valor de 2004

O processo de alta da taxa Selic, a taxa básica de juros da economia, iniciado no ano passado e que só foi interrompido em junho deste ano provocou um forte aumento dos gastos do governo com o pagamento de juros. No acumulado de janeiro a outubro, esta despesa ficou em R$ 133,491 bilhões, e é recorde para o período, informou hoje o chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Altamir Lopes. O valor já é inclusive maior do que o registrado em todo o ano de 2004, quando totalizaram a R$ 128,256 bilhões. Em 12 meses, as despesas com pagamento de juros atingiram R$ 155,377 bilhões, maior valor desde setembro de 2003, quando foram de R$ 155,4 bilhões. O déficit nominal - resultado do superávit primário menos o pagamento de juros - de R$ 57,182 bilhões registrado em 12 meses até outubro é o maior desde junho 2004. A taxa de juros acumulada em 12 meses até outubro desde ano foi de 18,91%, ante 16,23% no mesmo período do ano passado. Segundo Altamir Lopes, a taxa de juros acumulada em 12 meses só vai começar a cair em dezembro, gerando efeitos positivos na conta de juros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.