bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Despesa do governo cresce 23% em janeiro e receita cai

Com o aumento das despesas de 23,46% e uma queda nas receitas de 2,67% o superávit primário do governo central (contas do Tesouro Nacional, da Previdência Social e do Banco Central) foi de apenas R$ 4,251 bilhões em janeiro. O resultado equivale a 1,75% do Produto Interno Bruto (PIB). O superávit primário não leva em conta as despesas com o pagamento de juros.Em janeiro de 2008 o superávit do governo central havia sido de R$ 15,362 bilhões, o que equivalia a 6,75% do PIB. Segundo os dados divulgados hoje, o Tesouro Nacional registrou um superávit de R$ 10,612 bilhões no mês passado, enquanto a Previdência Social teve déficit de R$ 6,337 bilhões. O BC também teve um resultado negativo em janeiro, de R$ 23,6 milhões.O impacto da crise financeira internacional na receita do governo contribuiu para a redução do superávit primário das contas do governo central em janeiro. As receitas brutas caíram R$ 2,6 bilhões em janeiro em relação ao mesmo período do ano passado.O governo fez uma série de desonerações tributárias para enfrentar a crise no final do ano passado e início deste ano, o que acarretou na diminuição da arrecadação. Além disso, as despesas do governo aumentaram. As despesas de janeiro deste ano com pessoal cresceram 31,22% em relação a janeiro do ano passado.Os gastos com investimentos no mês de janeiro somaram R$ 1,493 bilhão. O valor representa um aumento de R$ 231,6 milhões em relação a janeiro de 2008. Os ministérios que mais investiram foram dos Transportes, Ciência e Tecnologia, Defesa, Desenvolvimento Social e Combate à Fome.As despesas com o Projeto Piloto de Investimento (PPI) totalizaram R$ 285,2 milhões em janeiro; 23,6% a mais em relação a janeiro do ano passado, quando foram desembolsados R$ 230,6 milhões.

RENATA VERISSIMO E ADRIANA FERNANDES, Agencia Estado

20 de fevereiro de 2009 | 15h42

Tudo o que sabemos sobre:
contas públicasTesouro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.