Destaque para exportação têxtil na visita de Lula à África

A missão comercial brasileira que desembarca na semana que vem na África do Sul terá entre os acompanhantes do presidente Luís Inácio Lula da Silva representantes da indústria têxtil e de confecção brasileira. A comitiva de empresários do setor, liderada pela Associação Brasileira de Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), está levando projetos que visam o aumento das exportações de produtos têxteis brasileiros para países do continente africano. Os pouco mais de 50 empresários brasileiros terão ainda a oportunidade de participar de uma rodada de negócios com empresas sul-africanas e de visitar fábricas e distribuidores locais. A África do Sul já compra do Brasil fios de algodão e fibras sintéticas, além de produtos como tecidos, tapetes, cortinas, entre outros. O presidente da Abit, Paulo Skaf, acredita que o mercado sul-africano é bastante promissor. Somente no primeiro semestre deste ano as vendas de produtos têxteis e confecção para o continente cresceram 22,8% em comparação ao primeiro semestre do ano passado. Apoio legal A Marcondes Advogados Associados e a sul-africana Emile Myburgh Advogados assinaram hoje em São Paulo parceria para assessorar empresas brasileiras e sul-africanas que desejem se instalar ou ampliar mercados na África do Sul e no Brasil, respectivamente. Estes escritórios terão representações em São Paulo e na Cidade do Cabo à disposição das empresas interessadas. O PIB (Produto Interno Bruto) sul-africano, de cerca de US$ 130 bilhões, não é nada desprezível, considerando uma população de 44 milhões, contou o advogado Emile Myburgh Attorneys, que morou durante dois anos no País. "Além de alguns produtos manufaturados e de serviços, o Brasil tem grande chances de atrair turistas", afirma. Ele afirmou também que uma grande fabricante de genéricos da África do Sul está próximo a se instalar no Brasil. Devido à grande incidência de Aids nesse país (cerca de 20% da população de pouco mais de 44 milhões), o número de fabricantes de genéricos que querem quebrar patentes dos grandes fabricantes aumentou consideravelmente, disse Myburgh Attorneys. Por isso, o tema da Aids, no qual o Brasil se tornou referência para o mundo todo, deve fazer parte da pauta do encontro entre Lula e o presidente da África do Sul, Thabo Mbeki.

Agencia Estado,

31 Julho 2003 | 15h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.