Desvalorização de moedas prejudica bancos espanhóis

Analistas entrevistados pelo jornal espanhol La Gaceta de Los Negocios afirmam que a desvalorização do real e outras moedas latino-americanas no terceiro trimestre pode ter custado 500 milhões de euros para o Banco Santander Central Hispano (BSCH). No primeiro semestre deste ano, o impacto negativo da desvalorização das moedas da região sobre os recursos próprios do banco espanhol totalizou 734 milhões de euros. Segundo o diário financeiro, alguns analistas avaliam que o impacto no terceiro trimestre será equivalente aos dos seis primeiros meses do ano, já que o real brasileiro caiu entre janeiro e junho 22% diante do dólar e registrou uma perda de 34% entre julho e setembro. Alguns analistas, no entanto, acreditam que o impacto poderá ser menor pois o BSCH conta com uma cobertura para as moedas chilena e mexicana que não possuía no primeiro semestre. O BSCH possui também uma grande exposição à dívida pública brasileira, que no final de junho somava US$ 6,5 bilhões. Segundo o jornal, a intenção do banco era reduzir essa exposição em 30% nos últimos meses. A imprensa espanhola informa também hoje que o Banco Bilbao Vizcaya Argentaria (BBVA) não espera obter qualquer lucro de suas operações na Argentina pelo menos por dois anos. O presidente do BBVA, Francisco Gonzales, disse que o banco necessitará de "dois ou três anos" para ter retornos da Argentina, informou o diário Cinco Dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.