coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Desvalorização do peso derruba lucro da Repsol-YPF

A desvalorização do peso argentino e a crise econômica vivida por aquele país levaram o grupo hispano-argentino de petróleo e gás Repsol-YPF SA a registrar queda de 49% no lucro líquido obtido no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2001.De janeiro a março, a companhia obteve lucro líquido de 302 milhões de euros (US$ 272,7 milhões), ante os 595 milhões de euro obtidos há um ano.O lucro operacional alcançou 889 milhões de euros (US$ 802,7 milhões), o que representa queda de 41% em relação ao 1,5 bilhão de euros obtidos de janeiro a março de 2001.A Repsol-YPF disse que fez provisão de 1,01 bilhão de euros (US$ 911,9 milhões) para cobrir a desvalorização do peso argentino.ProduçãoA gigante petrolífera disse que os níveis de produção se mantiveram no mesmo nível ao longo do trimestre, em cerca de 945,6 mil barris/dia, apesar da venda de um ativo na Indonésia.Descontados os efeitos das aquisições e vendas de ativos em geral, a produção total cresceu 7,9% em relação ao primeiro trimestre do ano passado.Gás NaturalA Repsol-YPF confirmou a decisão de vender 23% de sua participação na Gás Natural SDG SA. Em comunicado, a companhia disse que com a venda, a sua participação na maior companhia de gás espanhola seria reduzida para 24%. Com a venda, a empresa espera obter 1,06 bilhão de euros (US$ 957 milhões).Segundo a Repsol, a venda da participação na Gás Natural será feita de uma única vez, em uma iniciativa diretamente dirigida a investidores institucionais, tanto espanhóis como estrangeiros. As informações são da Dow Jones.Leia o especial

Agencia Estado,

16 de maio de 2002 | 09h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.