Deutsche Bank: queda do preço do aço na China é um alerta

Analistas consideram que alta na demanda do aço pode influenciar na desvalorização dos outros metais

Marcílio Souza, da Agência Estado,

21 de agosto de 2009 | 16h04

A queda dos preços do aço e do minério de ferro na China nos últimos dias pode servir de sinal de alerta para outros metais industriais, disse o Deutsche Bank em relatório divulgado nesta sexta-feira, 21.

 

Os contratos futuros de aço na China caíram mais de 10% desde 7 de agosto, enquanto o preço do minério de ferro também cedeu. "Está montado o cenário para uma deterioração rápida, já que o sentimento no mercado é ruim", disse o analista Joel Crane.

 

O relatório afirma que a demanda induzida pelo estímulo fiscal permitiu que as siderúrgicas chinesas operassem perto da plena capacidade e repassassem o aumento dos custos do minério de ferro.

 

Assim, a produção de aço bruto da China cresceu para um nível recorde de 50,7 milhões de toneladas em julho, praticamente metade da produção mundial total. Segundo Crane, o aumento da utilização da capacidade, somado com o fato de que a China importou aço bruto entre abril e junho, faz com que o país esteja "claramente com excesso de oferta".

 

Crane acrescentou que os preços do aço são um indício muito melhor da demanda por commodities da China do que as cotações de outros metais, como o cobre. "Ao contrário dos metais básicos, os preços domésticos do aço na China estão muito menos sujeitos às oscilações diárias dos mercados globais", disse Crane. "Nós acreditamos que os preços dos metais básicos sejam mais influenciados pelo sentimento do investidor do que pelos fundamentos mais importantes, como a demanda", acrescentou. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
açoChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.