Devolução de aviões é que deu superávit na balança

O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior informou na tarde desta segunda-feira, em nota à imprensa sobre a balança comercial da segunda semana de janeiro, que o resultado das exportações no período foi influenciado pela reexportação (ou seja, devolução) de aeronaves. O valor da devolução de quatro aeronaves foi de US$ 326 milhões. (O Ministério não informou o nome da empresa que fez a devolução.) Não fosse essa devolução, que é contabilizada no saldo das exportações, a balança comercial brasileira na segunda semana de janeiro teria registrado déficit de US$ 76 milhões. Com a devolução, foi registrado superávit de US$ 250 milhões no período.Média diáriaA média diária das exportações na segunda semana de janeiro foi de US$ 220,4 milhões. No acumulado das duas semanas deste mês, a média diária das exportações ficou em US$ 187,8 milhões, com crescimento de 40,9% em relação à média da primeira semana do mês, de US$ 133,3 milhões. O Ministério do Desenvolvimento atribui também o crescimento das exportações na segunda semana - além da devolução dos quatro aviões - ao aumento das vendas de produtos manufaturados, principalmente calçados, suco de laranja, autopeças, motores para veículos, laminados planos e álcool etílico. A média diária das exportações de produtos manufaturados acumulada até a segunda semana de janeiro aumentou 40,9%, em relação à média da primeira semana do mês. No mesmo período, as exportações de semimanufaturados cresceram 5,6% e de básicos recuaram 1,7%. Em relação a janeiro do ano passado, as exportações até a segunda semana do mês registram, no entanto, uma redução de 9%. Segundo o ministério do Desenvolvimento, essa queda foi motivada pela diminuição no período das vendas de todas as categorias de produtos: manufaturados (34,4%), semimanufaturados (21,9%) e básicos (10,4%). Sobre dezembro do ano passado, as exportações até a segunda semana de janeiro também estão em queda: 13,6%

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.