Devolução de aviões motivou superávit na balança comercial

A devolução de quatro aeronaves no valor total de US$ 329 milhões foi o principal motivo do superávit de US$ 175 milhões na balança comercial de janeiro deste ano. Mesmo assim, o resultado foi comemorado pelo Ministério do Desenvolvimento, uma vez que desde 1997 a balança não registrava superávit em um mês de janeiro. Esse resultado de janeiro de 2002 foi o décimo superávit mensal consecutivo da balança comercial. As exportações totalizaram US$ 3,972 bilhões e as importações, US$ 3,797 bilhões. Foi o segundo melhor desempenho registrado nas exportações para os meses de janeiro desde 1980, perdendo apenas para o resultado das exportações do ano passado, que totalizaram US$ 4,538 bilhões. Do lado das importações, janeiro de 2002 foi o terceiro maior resultado, ficando abaixo de janeiro de 2001 e janeiro de 1998. O subsecretário de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Ivan Ramalho, disse, no entanto, que janeiro de 2001 foi um mês atípico tanto para as importações quanto para as exportações. Ramalho lembrou que em janeiro do ano passado houve um volume de exportações muito grande do complexo soja, o que, normalmente, não ocorre nesse mês. Do lado das importações, o subsecretário destacou que, em janeiro de 2001, houve um volume grande de compras de bens de capital que estavam represadas, porque os importadores aguardaram a publicação de uma lista de produtos que teriam alíquota reduzida em relação à Tarifa Externa Comum do Mercosul (o chamado ex-tarifário). Esse tipo de represamento, segundo Ramalho, deve ter ocorrido novamente em janeiro de 2002, pois somente no dia 29 foi publicada uma lista de redução de tarifa para 200 itens e, provavelmente, os importadores deixaram para fazer as compras em fevereiro ou março. O subsecretário disse que está mantida a expectativa de superávit comercial de US$ 5 bilhões a US$ 6 bilhões para este ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.