André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

DF escolta 64 caminhões e 100% da frota de ônibus funciona na segunda

As aulas da rede pública de educação, porém, estarão suspensas amanhã diante dos transtornos gerados pela paralisação

Fernando Nakagawa, Julia Lindner e Tânia Monteiro, O Estado de S. Paulo

27 Maio 2018 | 16h24

BRASÍLIA - O governo do Distrito Federal fez um balanço positivo do esforço para distribuição de gasolina adotado no sábado, 26, e que escolta 64 caminhões neste domingo. Com combustível entregue nas garagens, toda a frota de ônibus que atende Brasília e o entorno funcionará normalmente na segunda-feira. As aulas da rede pública de educação, porém, estarão suspensas amanhã diante dos transtornos gerados pela paralisação dos caminhoneiros.

“Entendemos que ainda haverá a ausência de alunos e professores, o que pode atrapalhar o conteúdo pedagógico. Essas aulas serão repostas posteriormente sem prejuízo para os alunos”, informou o governador Rodrigo Rollemberg após reunião de um gabinete de crise criado pelo governo local. Apesar das escolas fechadas, as creches poderão manter o serviço regular porque, segundo o governo local, a “alimentação e o transporte destinados a essas unidades não foram afetados”.

Na reunião, foi feito balanço positivo da retomada da oferta de gasolina para a região. Apenas no sábado, foram realizadas cerca de 200 escoltas de caminhões-tanque para o transporte de combustível de uma base de distribuição da Petrobras nos arredores de Brasília até os postos em todo o Distrito Federal. 

++ Greve dos caminhoneiros: acompanhe ao vivo

O esforço garantiu o fornecimento de 4,2 milhões de litros – volume suficiente para encher o tanque médio de 40 litros de 105 mil carros. Também foram escoltados caminhões com sulfato de alumínio (material para tratamento de esgoto), e também com ração para alimentar suínos e aves. Neste domingo, há 64 caminhões distribuindo combustível com escolta.

A partir de agora, ficou acertado que a prioridade para o governo local é retomar o abastecimento de álcool anidro e gás liquefeito de petróleo (GLP). Para isso, o governador solicitou ao Exército escolta de 22 caminhões para a busca de álcool em Betim (MG). Também há cinco veículos que transportam GLP escoltados desde a cidade de Catalão (GO) por carros da Força Nacional e da Polícia Rodoviária Federal. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.