Dia começa mal, mas 4ªF que vem é que preocupa

Esta 4ªF está começando mal no mercado externo, com o Nasdaq futuro caindo mais de 2% há pouco. O mercado não gostou do balanço da Cisco, divulgado ontem à noite, e da redução do preço no IPO da Orange, feito por sua controladora France Telecon hoje e que representa mais uma má notícia para as empresas de telefonia celular. Com o mercado externo de pá virada, o interno também começa no vermelho, com queda da bolsa e alta do dólar e dos juros futuros no GTS. Mas as expectativas brasileiras estão voltadas não para esta quarta, mas para a da próxima semana, no dia 14. Será uma verdadeira "quarta-feira gorda" para os mercados, com duas definições de peso para os negócios, ambas em Brasília: a eleição no Congresso e a reunião do Copom. Na Câmara e do Senado, a disputa provoca uma guerra de campo aberto entre os partidos da base aliada de FHC. Aécio e Jáder seguem como favoritos, mas o PFL não entrega os pontos e conta com manobras envolvendo a oposição para surpreender o governo na última hora. Pelo sim pelo não, o mercado deve manter cautela, ainda que não se aposte num desfecho perigoso para a governabilidade num ano que se anuncia tão otimista para a economia. Quanto ao Copom, a aposta em nova queda de juros diminuiu bastante. Há quem culpe o déficit da balança, outros apontam a alta do dólar e até a disputa entre Brasil e Canadá é citada como fator de cautela para o BC, mas o fato é que aumentou o coro dos que pregam uma estabilidade da Selic.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.