finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Dia das Crianças: comprar à vista ou parcelado

Ao sair às compras para escolher o presente para o Dia das Crianças, uma das principais dúvidas é com relação às formas de pagamento. Os lojistas, geralmente, oferecem a opção por comprar à vista ou em parcelas. Em tempos de juros altos, uma das recomendações é fugir do endividamento de compras parceladas, que em muitos casos escondem os juros embutidos nas prestações.A primeira coisa a fazer ao se dirigir ao caixa é perguntar sobre as formas de pagamento. No entanto, muitos consumidores são enganados com o chamariz: " compra a prazo sem juros". O que ocorre na verdade é que os juros da compra a prazo já estão embutidos no valor das prestações. Ou seja, paga pelo juro quem compra a prazo e também quem compra à vista. Se a loja oferecesse um preço para a compra à vista, mais barato, e outro para compra a prazo, o consumidor calcularia com mais facilidade o custo do parcelamento. Mas, no final, muitos acabam escolhendo essa opção por avaliar que o valor da prestação cabe dentro do orçamento. "As pessoas atentam somente para o valor da prestação. Já o pedido de desconto para o pagamento à vista fica para segundo plano", afirma o vice-presidente da Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac), Miguel José Ribeiro de Oliveira. A prova é que, quando o cliente insiste, os comerciantes sempre acabam concedendo um "desconto" para quem paga à vista. Aliás, pechinchar é um ótimo artifício para conseguir um desconto, tanto para quem pretende pagar à vista, quanto para quem adquire uma determinada quantidade de produtos. Deve-se lembrar que tal prática não é motivo de vergonha, apenas uma das práticas mais freqüentes no comércio, cujo beneficiado será o próprio consumidor. Cheque especial e cartão de créditoUma das dicas para quem vai às compras é conhecer os juros cobrados em algumas linhas de crédito. As mais comuns no consumo são o cartão de crédito e o cheque especial, e também as mais caras. Em pesquisa juntos aos bancos, o Procon-SP coleta mensalmente as taxas praticadas no cheque especial. Em setembro, a taxa média cobrada é de 8,85% ao mês (veja a pesquisa completa no link abaixo). Com relação ao cartão de crédito, a taxa média do crédito rotativo está em 9,59% ao mês e a taxa média de juros no parcelamento está em 6,62% ao mês. (veja a pesquisa completa no link abaixo).

Agencia Estado,

05 de outubro de 2001 | 11h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.