Dia das Mães: compre à vista para evitar juros

O comércio está animado com mais um Dia das Mães, que é a segunda data em volume de vendas, perdendo somente para o Natal. Por esse motivo, os comerciantes fazem de tudo para atrair os clientes. Dentre elas, as facilidades de pagamento destacam-se como um grande chamariz. Mas o consumidor deve ficar atento e evitar o endividamento, pois os juros são salgados.Depois de ter em mente algumas opções de presentes, não se deve deixar de fazer a pesquisa de preços. A pesquisa e a pechincha são fundamentais para quem quer economizar. Passada essa etapa, deve-se analisar as formas de pagamento comparando as condições das lojas visitadas. Entre o pagamento parcelado ou à vista, a prioridade deve sempre ser para a segunda opção. Isso porque, ao pagar à vista, o consumidor foge dos juros a serem pagos nas parcelas mensais. Geralmente, as pessoas acabam optando pelo pagamento parcelado porque não dispõem de recursos para o pagamento à vista e querem desfrutar do bem imediatamente. Além disso, muitos só se preocupam se o valor mensal da prestação caberá no orçamento, sem atentar para as taxas de juros incluídas nas parcelas.Cuidado com pagamento a prazo sem jurosOs consumidores devem ficar atentos às propagandas que mencionam o pagamento a prazo sem juros. Os comerciantes se utilizam desse mecanismo para atrair os consumidores e, os menos atentos acabam caindo na armadilha. O que ocorre na verdade é que os juros da compra a prazo já estão embutidos no valor das prestações. Ou seja, paga pelo juro quem compra a prazo e também quem compra à vista. O correto seria a loja oferecer um preço para a compra à vista e outro para compra a prazo. Dessa forma, o consumidor saberia quanto está pagando de juros, no caso de optar pela compra parcelada. A prova é que, quando o cliente insiste, os comerciantes sempre acabam concedendo um "desconto" para quem paga à vista.Juros do cartão e do cheque especial devem ser evitadosUma das dicas para quem vai às compras é conhecer os juros cobrados em algumas linhas de crédito. As mais comuns no consumo são o cartão de crédito e o cheque especial. Em pesquisa juntos aos bancos, o Procon-SP coleta mensalmente as taxas praticadas no cheque especial. Neste mês, a taxa média cobrada está em 8,49% ao mês (veja a pesquisa completa no link abaixo). A Agência Estado realiza pesquisa mensal sobre os juros cobrados pelos cartões de crédito. Pela pesquisa, no mês de março, a taxa média do crédito rotativo foi de 9,13% ao mês. Nos juros por atraso, a taxa média ficou em 9,03% ao mês. A taxa média de juros no parcelamento ficou em 6,77% e, finalmente, a taxa média de juros cobrado no saque foi de 8,90% ao mês (veja a pesquisa completa no link abaixo).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.