Dia das Mães deve movimentar R$ 1,9 bi no comércio eletrônico

Estimativa da consultoria E-bit aponta crescimento de 18% nas vendas no período

Malena Oliveira, O Estado de S. Paulo

01 Maio 2015 | 12h40

O Dia das Mães em 2015 deve render um crescimento de 18% nas vendas para o comércio eletrônico e movimentar R$ 1,9 bilhão. O cálculo é da consultoria E-bit, que atribui o avanço à disposição do consumidor em gastar mais com o presente nessa data, ainda que a variação no volume de vendas permaneça estável. No mesmo período do ano passado, o faturamento do e-commerce no Brasil foi de R$ 1,6 bilhão.

Ainda de acordo com a E-bit, as categorias de produtos mais procuradas são Moda e Acessórios (que representaram 19% do total de vendas no mesmo período do ano passado), itens relacionados à saúde (11% em 2014) e Eletrodomésticos (11%). Cosméticos e Perfumaria, Telefonia, Eletrônicos e Livros também têm participação importante nas vendas no período.

"A cada ano, percebemos um aumento no ticket médio para o presente do Dia das Mães, fator que ajuda, inclusive, no crescimento do faturamento para a data. Notamos que as compras estão cada vez mais planejadas: o consumidor está mais informado e exigente na busca por produtos com maior valor agregado", explica o diretor de Inteligência e Pesquisa da E-bit, André Dias.

Crise? Mesmo com incertezas em relação à economia - o Índice de Confiança do Consumidor da Fundação Getúlio Vargas (FGV), em abril, ficou 20,1% abaixo do observado no mesmo período do ano passado -, o consumidor prefere itens de maior valor para presentear.

Quem explica é o CEO do Buscapé Company para América Latina, Rodrigo Borer: "Pelo que percebemos desde o início do ano, o consumidor está efetuando menos compras, mas está adquirindo produtos de melhor qualidade e maior preço. Ao mesmo tempo, no e-commerce, há ainda a característica de os preços serem, em geral, mais vantajosos do que no varejo tradicional". Borer destaca ainda as facilidades oferecidas por lojistas, como frete grátis e embalagens para presentes, como principais atrativos.

Apesar da estimativa otimista da E-bit, as vendas no varejo devem registrar aumento de apenas 0,5% no Dia das Mães, de acordo com a Confederação Nacional do Comércio (CNC) divulgada na quinta-feira, 30. Esperando o pior resultado para o período desde 2004, a entidade espera para este ano uma receita de R$ 6,5 bilhões no período.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.