Dia das Mães: intenção de compra de presente tem leve queda

De acordo com pesquisa da Fecomercio, 27% acreditam que estão em piores condições para compras deste ano

Gustavo Uribe, da Agência Estado,

07 de maio de 2009 | 18h46

Os efeitos da crise econômica financeira mundial não devem intimidar o paulistano nas compras para o Dia das Mães. De acordo com pesquisa de público da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP), que abordou 1.120 consumidores no município de São Paulo, 45% dos entrevistados creem que 2009 será um ano melhor do que os anteriores para presentear a mãe, enquanto 27% acreditam que estão em piores condições para as compras deste ano.

 

Veja também:

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise 

 

Os dados da Federação apontam que 55% dos consumidores pretendem comprar presentes este ano, 2 pontos porcentuais a menos do que pesquisa semelhante realizada no mesmo período do ano passado (57%). Os que preferem não presentear a mãe este ano representam 24%. Desses, 28% afirmam não ter condições financeiras e 12% estão desempregados. Em 2008, a porcentagem dos que não pretendiam presentear a mãe era maior, de 37%.

 

Quanto à forma de pagamento, 66% dos consumidores entrevistados responderam que irão pagar à vista e 30% com cartão de crédito. Apenas 5% dos entrevistados estão dispostos a fazer empréstimos para comprar o presente. Segundo cálculos da Fecomercio-SP, o valor médio das compras deste ano será de R$ 55, R$ 4 a mais que o apurado na pesquisa do ano passado. Dos consumidores entrevistados, 57,6% pretendem gastar mais de R$ 70 na compra do presente e 33,1%, entre R$ 21 e R$ 50.

 

Apesar de os produtos de linha branca terem sofrido queda significativa de preço com a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), os eletrodomésticos não serão a escolha de presente preferida dos filhos neste ano. A maioria dos consumidores (76%) afirmou que não pretende comprar produtos com a redução do IPI, contra 21% dos que vão aproveitar as promoções. Os eletrodomésticos preferidos para a compra são geladeira (40%), máquina de lavar roupa (26%), fogão (19%) e micro-ondas (15%).

 

O setor de vestuário e calçados continua liderando o ranking de presentes (34%), seguido por perfumes e cosméticos (10%) e eletrodomésticos (9%). Na lista de preferência das mães, 22% preferem ganhar itens do setor de Vestuário e Calçados, 18% optaram por eletrodomésticos e 8% querem ser presenteadas com perfumes e cosméticos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.