Dia das Mães: o que comprar?

Mais um Dia das Mães e aquela dúvida: o que comprar? Os filhos atentos arriscam presentes mais pessoais, como perfumes, roupas, livros ou CDs. Os desligados nunca sabem o que dar e acabam, da mesma forma que os apressados, comprando flores. Não que seja má idéia oferecer flores à mãe, mas é preciso ter cuidado. Na opinião da professora de moda da Faculdade Anhembi-Morumbi, Fawsia Borolha, "flores são sempre bem-vindas, mas fica parecendo esquecimento, coisa de última hora." Fawsia aconselha prestar atenção na personalidade e no estilo da mãe. Uma boa surpresa, ao invés de levá-la ao restaurante, seria pai e filho entrarem na cozinha e prepararem o almoço, segundo ela uma atitude mais afetiva. "Almoçar fora é sempre mais trabalhoso e, neste dia, tem fila, muita gente, tem de ficar esperando. E são poucas as mães que gostam de descobrir novos lugares". Presentes neutros, mas pessoais, costumam agradar. Especialistas afirmam que toda mulher gosta de ganhar bolsa e, quando se importa com marca, as mais conhecidas e tradicionais impressionam. Outra dica são os acessórios. Raquel Valente, coordenadora dos cursos de graduação e pós-graduação em moda da Faculdade Santa Marcelina, acredita que vale a pena arriscar presentes como jóias, echarpes, xales de inverno, capas de chuva. "Toda mulher se preocupa com acessório e é possível escolher um que corresponda ao estilo da mãe e ao bolso do filho."Outra sugestão de Raquel é o que ela chama de vale-presente. "Pode ser um curso que a interesse, um corte de cabelo, aulas numa academia de ginástica, uma temporada num spa ou uma viagem para que descanse da família e esqueça os problemas." Ela também aconselha apostar em objetos ligados a alguma atividade que pratica ou a um hobby, como leitura, pintura, esporte e música. Para o consultor de marketing de moda, Diaulas Novaes, objetos de decoração, como vasos, quadros e plantas podem ser uma outra alternativa.Como evitar uma gafe no Dia das MãesDe acordo com a professora de etiqueta, Chistine Yufon, a maior mancada que um filho pode dar neste dia é não lembrar da própria mãe. "Mesmo longe, tem de ligar. Se estiver por perto, deve passar o dia com ela. E, independentemente do presente, escrever um cartão de agradecimento por tudo o que ela fez." Ela acrescenta: "se a mãe já tiver tudo, o filho deve buscar coisas ligadas ao coração, mostrar ternura e atenção com palavras de muito carinho." Outra gafe que ganhou a unanimidade dos especialistas: presenteá-la com jogo de panelas ou eletrodomésticos. Na dúvida, Fawsia alerta para não pedir a opinião do pai. "É o pior caminho para descobrir o presente certo. Ele nunca sabe e é capaz de sugerir uma panela."Estereótipos dificultam escolhaNa opinião do psicólogo Alexandre Nicolau Luccas, os estereótipos são os responsáveis pela dificuldade que temos em escolher um presente para a mãe. "Nossa cultura, hoje, mostra dois extremos: a mãe dona de casa que lava, passa, cozinha e ficaria feliz em ganhar um eletrodoméstico; e a mãe independente que trabalha fora, público alvo da promoção de celulares para esta data." Segundo ele, as lojas fazem propaganda apenas em cima disso. Entre estes dois extremos, fica difícil escolher presentes. A receita é tentar fugir dos clichês e tentar encontrar um presente que reflita os seus desejos.

Agencia Estado,

27 de abril de 2001 | 16h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.