Dia de reajuste após queda de 0,25 ponto da Selic

O dia para o mercado financeiro hoje será de reajuste das cotações após a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de cortar em 0,25 ponto porcentual a taxa básica de juros da economia, a Selic, que ficou em 18,50% ao ano. A redução da taxa era consenso entre os especialistas, mas ainda restavam dúvidas com relação à intensidade desse corte. Alguns especialistas esperavam que o Banco Central (BC) adotasse uma postura mais conservadora. Porém, muitos analistas se basearam no cenário econômico otimista - dólar em queda, melhora do risco Brasil e inflação em queda - e apostaram num corte de, no mínimo, 0,5 ponto porcentual. Essa parcela do mercado foi surpreendida e, em função disso, as taxas devem se reajustar com uma abertura pressionada do mercado de dólar e juros e uma queda na Bolsa. Há pouco, o dólar comercial era vendido a R$ 2,3470, em alta de 0,09%. No mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em outubro, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) pagam juros de 18,100% ao ano frente a 17,760% ao ano negociados na sexta-feira. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) operava em queda de 1,45%. Além do ajuste ao Copom, os mercados regem negativamente à divulgação da pesquisa CNI-Ibope. Pelos números, o candidato do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, caiu de 31% para 24% nas intenções de voto. , Roseana Sarney, candidata do PFL, despencou para 13%, enquanto José Serra, que vinha disparando, recuou um pouco para 16%. Os dados mostram que apesar da queda de Lula, o candidato José Serra não foi beneficiado. A surpresa negativa ficou por conta o crescimento do governador do Rio, Anthony Garotinho, que está com 14% das intenções de voto, em terceiro lugar, na frente da candidata do PFL.Nos Estados Unidos, foram divulgados indicadores sobre a economia norte-americana. O índice de preços ao consumidor (CPI) subiu 0,2% em fevereiro, ficando dentro das expetativas do mercado. Já o número de pedidos de auxílio-desemprego caiu 12 mil, para 371 mil. A redução surpreendeu o mercado, que esperava uma queda de apenas 2 mil pedidos.As bolsa americanas vêm reagindo aos dados anunciados. O Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - opera com queda de 0,10%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - registra alta de 0,29%. Na Argentina, o índice Merval da Bolsa de Valores de Buenos Aires opera com alta de 0,07%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.