Dicas ao utilizar o cartão de crédito na Internet

As compras realizadas com cartão de crédito pela Internet deverão somar R$ 3,2 bilhões até o final deste ano, com crescimento de 75% sobre 2001. Com isso, os consumidores devem tomar alguns cuidados específicos neste tipo de transação.A estimativa, para final do ano, é de que 85% do total transacionado pela Internet deverá ser pago com cartões de crédito, volume que representará cerca de 5% do faturamento do setor de cartões de crédito no Brasil. Os dados são do estudo Cartões de Crédito e a Internet, parte da pesquisa Indicadores do Mercado Brasileiro de Cartões de Crédito, realizada mensalmente pela Credicard.As previsões para este ano reforçam a tendência de forte expansão do uso do cartão de crédito nas compras on-line: em 1999, elas somavam R$ 253 milhões, passando a R$ 1,827 bilhão em 2001, um aumento de cerca de 622%.Hábitos de comprasAo analisar os tipos de produtos mais adquiridos, o estudo da Credicard aponta os CDs como os preferidos: 68% dos internautas portadores de cartão de crédito declararam adquirir esse produto pela rede. Na seqüência, vieram: livros e revistas (43%); discos DVD e fitas de vídeo (28%); brinquedos (27%); e eletroeletrônicos (21%).Veja recomendações do Procon para comprar na redeCom um enorme shopping center ao alcance da tela do micro, o consumidor que faz compras pela Internet muitas vezes não sabe como preservar seus direitos. Ao navegar em sites desconhecidos, é preciso ter a certeza de que os responsáveis pela página e as mercadorias ofertadas sejam de confiança. A nota fiscal continua sendo essencial e deve ser exigida.Segundo os técnicos do Procon-SP, uma outra forma de se prevenir é evitar o uso de cartões de crédito e vincular o pagamento à entrega do produto ou serviço. De acordo com a legislação vigente, a empresa tem a obrigação de apresentar outras formas de pagamento. O Código de Defesa do Consumidor estabelece que as compras realizadas fora do estabelecimento comercial podem ser canceladas em até sete dias.É importante checar também o valor das despesas com frete e taxas adicionais. A comodidade de comprar sem sair de casa pode tornar o produto mais caro. O consumidor deve ficar atento e solicitar todos os dados que achar necessário para ter uma melhor idéia do que está comprando - especificação, marca, cor e tamanho disponíveis.As informações da empresa também precisam estar claras e, para maior segurança, o usuário pode imprimir a tela do site com os dados da compra. O Código de Defesa do Consumidor estabelece prazo de 30 dias para efetuar reclamações de vícios aparentes ou de fácil constatação para produtos não duráveis e de 90 dias para itens duráveis, contados a partir da constatação do problema.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.