Dieese apura que 79% das categorias conseguiram repor inflação

Levantamento realizado pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese) indica que 79% dos acordos e convenções coletivas das categorias com data-base no primeiro semestre do ano conseguiram, no mínimo, repor a inflação apurada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) em um ano. No primeiro semestre de 2003, apenas 46% das categorias conseguiram recuperar a inflação ou obter algum aumento real de salário. Os dados foram divulgados preliminarmente na "Revista do Dieese", lançada hoje.Ao desmembrar os dados, o Dieese informou que, de 264 acordos e convenções coletivas firmadas, 47% obtiveram índices de reajuste superiores ao INPC; 32% foram iguais; e 21% ficaram abaixo da taxa de inflação.Inflação controlada permitiu resultadoDe acordo com o diretor Técnico do Dieese, Clemente Ganz Lúcio, o melhor desempenho das campanhas salariais do primeiro semestre foi obtido por fatores como a melhora do ambiente econômico, o posicionamento da inflação abaixo de dois dígitos e também porque os níveis dos salários ainda estão muito baixos."Saímos de um patamar de inflação relativamente elevado, ocorrido no ano passado, para patamares de um dígito, que torna mais compatível, num processo de negociação, uma reposição integral de perdas", avaliou. Com a inflação de 12 meses posicionando-se abaixo de 10%, Ganz Lúcio entende que as empresas tiveram condições "mais compatíveis" para administrar seus custos oferecendo reposições mais elevadas a seus trabalhadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.