Dieese avalia que deflação confirma período recessivo

O desempenho do Índice de Custo de Vida (ICV) em junho na capital paulista, com deflação de 0,26%, demonstra que o País vive um "processo recessivo", na avaliação da supervisora de Pesquisas de Preços do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese), Cornélia Nogueira Porto. "Vivemos um processo recessivo, todo mundo está em compasso de espera e o comércio, ao que parece, está paralisado", avaliou. Ela se disse "surpresa" com a deflação registrada pelo ICV. "Esperávamos um índice baixo, mas não tão baixo", afirmou, ao citar que sua expectativa era "próxima de zero" para o ICV. Para Cornélia, o recuo do Índice foi motivado pelas fortes retrações dos grupos Transportes (-2,60%) e Alimentação (-0,91%), além do "pequeno reajuste" verificado no grupo Vestuário (0,99%). "Com o lançamento da coleção outono/inverno, sempre o grupo Vestuário sobe muito nessa época. Mas pela baixa atividade econômica e também porque o frio ainda não chegou em definitivo, não houve espaço para reajustar os preços", analisou. A supervisora do Dieese justificou a queda do grupo Alimentação à sazonalidade de vários produtos, principalmente in natura e semi-elaborados, e também pelo fato de o índice do grupo ter subido muito nos últimos 12 meses. "Em um ano, alimentação subiu 25,12%, sendo que os alimentos in natura e semi-elaborados aumentaram 23,74%. Já estava na hora de cair um pouco", comentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.