Dieese calcula que mínimo deveria ser de R$ 1.527,56 em julho

O salário mínimo de julho deveria ser 5,9 vezes o valor do vigente hoje, um total de R$ 1.527,56, segundo as projeções do Departamento Intersindical de Estatística e Estudo Sócio-Econômicos (Dieese). Este montante foi o mesmo apurado para junho pelo Dieese, que tem como base o custo da cesta básica apurado na capital mais cara - que em julho, foi Porto Alegre, com custo de R$ 181,83.O Departamento também considera em seus cálculos o preceito constitucional que determina que o salário mínimo deve ser suficiente para atender às necessidades do trabalhador e sua família. Entre estes preceitos está a cobertura de despesas com alimentação, moradia, saúde, vestuário, educação, transporte, higiene, lazer e previdência social.JornadaPara adquirir os produtos que compõem a cesta básica, o trabalhador que ganha salário mínimo precisou cumprir uma jornada de 131 horas e 16 minutos em julho na média das dezesseis capitais onde a pesquisa é realizada pelo Dieese. No mês anterior, a mesma compra necessitava a execução de 130 horas e 34 minutos e em julho do ano passado, de 132 horas e 14 minutos.O Departamento apurou ainda que 64,61% do salário líquido do trabalhador (já descontada a parcela equivalente ao pagamento da Previdência Social) foi comprometido com a compra dos gêneros essenciais. Em junho, a parte do salário comprometido era levemente menor (64,27%) e, em julho do ano passado, levemente maior (65,08%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.