Dieese calcula que salário mínimo ideal seria de R$ 1.396,50

Tomando como base o preço da cesta básica de Porto Alegre, o mais alto do País, o Dieese calcula que o salário mínimo ideal para cobrir as despesas do trabalhador e de sua família com alimentação, moradia, educação, saúde, vestuário, transporte, higiene, lazer e previdência seria de R$ 1.396,50, ou 5,81 vezes o piso vigente, de R$ 240,00. A cesta básica de Porto Alegre fechou o mês de julho em R$ 166,23. Com isso, o trabalhador formal, cujo rendimento é o salário mínimo, precisou cumprir em julho, na média das 16 capitais, uma jornada de 132 horas e 14 minutos para adquirir os gêneros de primeira necessidade. Esta jornada, segundo os técnicos do Dieese, é menor que a exigida em junho, de 136 horas e 53 minutos, mas maior que a de julho do ano passado, que foram 131 horas e 12 minutos.De acordo com os técnicos do Dieese, o mesmo quadro pode ser observado quando se compara a proporção do custo da cesta básica contra o salário mínimo líquido, após descontado a parcela da Previdência Social. Neste caso, dizem os analistas do Dieese, o custo da cesta básica em julho correspondia, na média das 16 cidades, a 65,08% do mínimo líquido, porcentual menor que o requerido em junho (67,37%), mas superior ao exigido em julho de 2002, de 64,58%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.