carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Dieese defende que correção da tabela do IR terá efeito limitado

A correção da tabela do Imposto de Renda Pessoa Física em 7% terá impacto limitado na renda do trabalhador da Grande São Paulo. A avaliação foi feita por técnicos da Fundação Seade e do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), baseando-se em dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), produzida pelas duas instituições e divulgada hoje."O Imposto de Renda tem um impacto maior sobre os rendimentos mais altos e, conforme a PED, 75% da população da região metropolitana de São Paulo ganha menos de R$ 1 mil", analisou o diretor-técnico do Dieese, Clemente Ganz Lúcio. "Fosse concentrada na baixa renda, saberíamos que a correção do IR seria revertida em aumento de consumo de alimentos. Mas, em sendo destinada para a maior renda, o perfil de consumo é diferente e não é possível prever a influência trazida para a região", adicionou.Embora não projete os impactos sobre o aumento de renda dos trabalhadores, o diretor do Dieese destacou que a massa de rendimentos tem apresentado crescimento e, após três meses de queda, os salários e rendimentos dos trabalhadores voltaram a crescer, em outubro. "Contratações com carteira assinada, campanhas salariais das categorias com data-base no segundo semestre e o aumento da massa de assalariados, com o crescimento global das contratações, provocaram aumento da renda média do trabalhador", explicou.

Agencia Estado,

22 de dezembro de 2004 | 15h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.