Dieese: ICV acelera para 1,72% em janeiro

A taxa de inflação na capital paulista apresentou forte alta em janeiro, conforme pesquisa realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). No primeiro mês de 2010, o Índice de Custo de Vida (ICV) subiu 1,72%, o que representou a taxa mais expressiva desde janeiro de 2003, quando atingiu a marca de 2,92%, ainda sob influência dos efeitos da forte alta do dólar do final de 2002, em função das eleições presidenciais daquele ano, que haviam trazido grande preocupação com eventuais alterações na política econômica com a posse de um novo governo. Em dezembro de 2009, o ICV havia subido 0,08% ante novembro.

FLAVIO LEONEL, Agencia Estado

09 de fevereiro de 2010 | 12h35

Segundo o Dieese, em janeiro de 2010, as altas apuradas nos grupos Transporte (5,05%), Educação e Leitura (4,10%) e Saúde (1,65%) contribuíram conjuntamente com 1,34 ponto porcentual da taxa geral. O grupo Alimentação apresentou uma elevação um pouco menor, de 1,33%, mas foi responsável, sozinho, por 0,37 ponto porcentual do ICV, em virtude do peso importante que possui no cálculo do indicador.

A variação positiva do grupo Transporte contribuiu com 0,79 ponto porcentual no cálculo da taxa da inflação. O Dieese observou que "elevações marcantes" ocorreram em dois subgrupos de Transporte: uma variação de 2,70% no Individual e outra de 10,87% no Coletivo. No primeiro caso, a alta foi consequência do forte aumento de 5,23% nos combustíveis, sendo 1,97% para a gasolina e 14,62% para o álcool. No segundo, o instituto apontou que o avanço foi resultado do extraordinário reajuste de 17,39% na tarifa do ônibus municipal.

Quanto ao grupo Educação e Leitura, o Dieese apurou que a alta refletiu os aumentos praticados pelos estabelecimentos de ensino nas mensalidades escolares (5,22%), com taxas que atingiram a 7,29% no ensino fundamental. Em relação ao grupo Saúde, o aumento foi resultado da alta no subgrupo Assistência Médica (2,00%), em virtude das correções aplicadas em Seguros e Convênios médicos (2,20%). No caso da Alimentação, o Dieese considerou que houve comportamentos de altas nos subgrupos Produtos In Natura e Semielaborados (1,91%), Indústria da Alimentação (0,34%) e Alimentação Fora do Domicílio (1,84%).

Despesas diversas

Em relação aos demais grupos pesquisados pelo Dieese, foram observadas em janeiro elevações em Despesas Diversas (1,34%), Despesas Pessoais (0,24%) e Habitação (0,05%). Em contrapartida, a instituição apurou baixas em Vestuário (-0,47%), Recreação (-0,37%) e Equipamento Doméstico (-0,19%). Nos últimos 12 meses encerrados em janeiro, o ICV acumulou taxa de 5,11%. O número é maior do que o de 4,05% acumulado nos 12 meses até dezembro, que representou a taxa de inflação em São Paulo de 2009.

Tudo o que sabemos sobre:
inflação, Dieese, ICV

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.