Tiago Queiroz/ Estadão
Tiago Queiroz/ Estadão

Gasolina e diesel estão mais caros no Brasil do que no mercado internacional após queda do petróleo

Para equilibrar os preços, seria necessária uma redução de R$ 0,16 no diesel e de R$ 0,09 na gasolina; diesel está em média 3% mais caro e gasolina, 2%

Denise Luna, O Estado de S.Paulo

06 de julho de 2022 | 14h18

RIO – A brusca redução nos preços de referência do óleo diesel e da gasolina no mercado internacional no fechamento de terça-feira, 5, puxada pela queda do preço do petróleo para perto de US$ 100 o barril no mercado internacional, fez com que os preços médios praticados no Brasil ficassem mais altos do que os comercializados no Golfo do México.

Segundo a Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom), na média, o preço do diesel está 3% acima da média internacional e a gasolina, 2%. Para equipar os preços seria possível uma redução média de R$ 0,16 e R$ 0,09, respectivamente.

A diferença no porto de Aratu, na Bahia, onde funciona a Refinaria de Mataripe, privatizada no final do ano passado, foi responsável pela superação da paridade, o que não se verifica nos portos que são referência nas refinarias da Petrobras. A gasolina no mercado da Bahia estava ontem 15% mais cara e o diesel, 7%.

Já nos portos de Itacoatiara e Itaqui a defasagem da gasolina foi zerada, e nos portos de Suape, Paulínia e Araucária a diferença ainda é favorável ao mercado interno, com preços 2% menores do que no mercado internacional, informa a Abicom.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.